Eu sou

O morno não me atrai
O mais ou menos 
Aquela amizade conveniente
Que se acovarda.
Aquele amor murcho
Aquela alegria forjada
Sou intensa por natureza
O verbo ser tem que ser conjugado 
Vivido e esbanjado 
Sentido e enraizado
Tudo é 
O indefinido deixo ir
O duvidoso, o talvez quem sabe
Hoje sei
O que já não quero mais. 
Se trouxer sua verdade 
Sente-se para um chá e uma conversa
Já não tenho mais idade 
Nem personalidade 
Para fingir
Eu sou. 

✍ Vanessa Pinheiro, escrito em 22.06.22

Foto: @rentofotografia

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s